Conselho de Governança de Privacidade do Governo de Sergipe discute segurança de dados

O mapeamento dos dados de órgãos governamentais requer uma ferramenta tecnológica específica

Na manhã de ontem, 16, os membros do Conselho de Governança de Privacidade do Governo de Sergipe participaram de reunião na Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis) para discutir a implementação de uma plataforma dedicada à proteção de dados. O principal objetivo da reunião foi a busca por soluções tecnológicas que garantam o cumprimento eficaz e seguro da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Com o intuito de atingir esse propósito, foi apresentada uma plataforma automatizada já utilizada em outros estados, como é o caso do Rio de Janeiro. A plataforma, que oferece um sistema de governança que está em conformidade com as políticas de privacidade estabelecidas em lei, foi apresentada virtualmente pela vice-presidente do governo distrital e integrante do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (Proderj), a advogada Sâmya Massari. Ela é responsável pela efetiva implantação da plataforma no Governo do Rio de Janeiro.

Na ocasião, os participantes foram recebidos pelo presidente da Emgetis, João Pereira. Estiveram presentes representantes da Procuradoria Geral do Estado (PGE), com Augusto Carlos Melo; da Secretaria de Estado da Transparência e Controle de Sergipe (SETC), representada por Carlos Eduardo de Mello Lima; da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), com João Henrique Assis Sampaio; e da Secretaria de Estado de Administração (Sead), com a presença de Erick de Oliveira e Souza. A Emgetis também contou com a participação da responsável pelo Controle Interno, Maria Antônia Machado, e da analista de sistemas, Kleyssie Pinheiro.

“O Governo de Sergipe tem dedicado esforços significativos para garantir o cumprimento da LGPD em suas operações, razão pela qual esta reunião se torna tão relevante. O processo em questão é composto por diversas etapas, sendo que, neste encontro, tivemos a oportunidade de conhecer a plataforma adotada pelo estado do Rio de Janeiro. O mapeamento dos dados de órgãos governamentais requer uma ferramenta tecnológica específica, e é vital para assegurar a devida proteção. A interconexão e a segurança das informações demandam cautela, uma vez que o tráfego de dados precisa ser resguardado para evitar qualquer tipo de violação”, disse o presidente da Emgetis, João Pereira.

Última atualização: 17 de novembro de 2023 08:24.

Pular para o conteúdo