Publicado: 8 de setembro de 2017, 10:22

Seminário discutiu implantação de Governo Eletrônico

Redução de custos, inclusão digital, transparência na gestão e instrumentos que facilitem o acesso da comunidade aos bens e serviços oferecidos pelo Governo do Estado através das tecnologias de informação. Esses foram alguns dos pontos debatidos durante o I Seminário de Governo Eletrônico, que aconteceu nesta quarta-feira, 20, no auditório do Tribunal de Justiça.

Organizado pelo Governo de Sergipe, através da Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe (Agetis) e das secretarias da Casa Civil e da Comunicação, o evento debateu durante todo dia, com técnicos da área de tecnologia da informação, comunicação e planejamento, além de professores universitários, estudantes, gestores e secretários de Estado, modelos e ações de governo eletrônico que agilizem a comunicação e a modernizem a administração pública.

“Para o governador Marcelo Déda, o Governo Eletrônico tem um papel decisivo na gestão do Estado porque permite que os serviços do setor público sejam oferecidos à população de maneira mais transparente, econômica e rápida”, afirmou o secretário da Casa Civil, Oliveira Júnior, que representou o governador de Sergipe na abertura do evento.

De acordo com o chefe da Casa Civil, a meta do Governo é usar os instrumentos eletrônicos para fortalecer e melhorar cada vez mais o diálogo e a prestação de serviço com qualidade entre o Estado e a comunidade nas escolas, postos de saúde e todos os pontos de extensão do Governo.

“Dessa maneira, através da internet, a população pode, cada vez mais, acompanhar informações do Governo e saber, por exemplo, como está a distribuição do orçamento do Governo, se a Lei de Responsabilidade Fiscal está sendo mesmo cumprida, e aprofundar, assim, a relação de cidadão com todas as esferas do Estado”, disse Oliveira Júnior.

Na avaliação da secretária de Estado da Comunicação Social, Eloísa Galdino, o seminário vai trazer contribuições para implementar mecanismos que ampliem os canais de comunicação, integração e participação da esfera pública com a comunidade. “O objetivo desse evento é justamente iniciar a sensibilização de gestores e funcionários da administração pública na perspectiva de aproximar o Governo e população através da utilização das tecnologias de informação”, disse a secretária.

Troca de experiências

Segundo o presidente da Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe (Agetis), Cláudio Silva, o governo eletrônico vai ajudar o Governo de Sergipe a otimizar as iniciativas já existentes e desburocratizar as ações do Estado. “Nesse sentido, já temos iniciativas como os Centros de Atendimento ao Cidadão, o portal do Detran, do Comprasnet, a Agência Sergipe de Notícias. Com este seminário, proporcionamos um intercâmbio de experiências que vão tornar mais maduras nossas ações”, apontou o presidente da Agetis.

De acordo com a consultora Florência Ferrer, da empresa E-stratégia Pública, o Governo Eletrônico se apresenta atualmente como uma ferramenta indispensável dos governos contemporâneos na ampliação de prestação de serviços ao cidadão e redução do custo da máquina pública. “Ele faz parte da agenda de todos os governos hoje e a economia que produz é essencial para que o estado possa investir em outros setores como saúde, educação e segurança”, afirmou a consultora, durante a palestra sobre a economia que os processos eletrônicos promovem na gestão.

Participação

Também participou do ciclo de palestras o superintendente de Tecnologia de Informação do Banese, Rodrigo Corumba, que falou sobre as iniciativas de governo eletrônico que já são desenvolvidas em Sergipe. Em seguida, a coordenadora de projetos da Agetis, Sueli Bacelar, discutiu a questão da integração e da construção de portais governamentais.

Por último, Hernani Dimantas, do projeto Escola do Futuro da Universidade de São Paulo (USP), fez uma palestra sobre inclusão digital, através da experiência do programa Acessa SP. “Quanto mais rico de informação, mais possibilidades de crescimento o Estado disponibiliza ao cidadão. A inclusão digital dá a chance de oferecer autonomia a uma comunidade. Por isso que é tão relevante facilitar ao usuário acesso aos conteúdos e serviços do Governo”, pontuou Hernani.

O Acessa SP, desenvolvido pelo Governo de São Paulo, é um dos maiores projetos de inclusão digital da América Latina e realiza hoje mais de 23 milhões de atendimentos gratuitos, em 406 postos de acesso ao portal eletrônico do Estado.

Participaram da solenidade de abertura do seminário o secretário de Finanças de Aracaju, Jefferson Dantas, além dos secretários de Estado do Planejamento, Lúcia Falcón, da Administração, Jorge Alberto, do Turismo, João Augusto Gama, da Cultura, Luiz Alberto dos Santos, de Esporte e Lazer, Leó Filho, da Coordenação Política, Jorge Araújo, de Transportes e Assuntos Metropolitanos, Bosco Mendonça. Também estiveram presentes ao seminário o presidente do Banese, João Andrade, e o controlador Geral do Estado, Adinelson Alves da Silva.

Skip to content