Publicado: 8 de setembro de 2017, 10:33

GT de Governo Eletrônico participa de Planejamento Territorial

Representantes do Grupo de Trabalho (GT) de Governo Eletrônico de Sergipe estiveram nesta terça-feira, 12, no município de Santa Luzia do Itanhy, situado a 76 quilômetros de distância da capital, para participar da conferência municipal que integra do Plano de Desenvolvimento Territorial Participativo de Sergipe (PDTP), que está sendo elaborado pela Secretaria do Estado do Planejamento (Seplan). O GT é composto por servidores da Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe (Agetis), da Secretaria de Estado da Casa Civil e da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom).

De acordo com Ulisses de Paula, diretor administrativo da Agetis e membro do grupo, um dos objetivos centrais em participar do evento é poder conhecer a realidade de cada região do Estado no que diz respeito ao acesso da população aos serviços prestados pelo governo. “Todos os cidadãos sergipanos, independente da região onde eles vivam, têm o direito de interagir com a administração pública. Um dos caminhos para que isso aconteça é o estímulo ao uso das tecnologias da informação e da comunicação, como computadores e internet, por exemplo”, explica. Contudo, ele salienta que o GT pretende não apenas instalar computadores, mas também educar e preparar a população para o uso dessas tecnologias.

Kadydja Albuquerque, representante da Secom no GT, afirmou que este tipo de contato com a população é muito produtivo, porque permite ouvir da população as principais dificuldades em dialogar com o governo. “O Governo de Sergipe entende que o acesso à informação e à comunicação são direitos essenciais para a sociedade, assim como alimentação, saúde, moradia e muitos outros. Neste sentido, a Secretaria de Comunicação vai pensar projetos que qualifiquem o diálogo da população com o governo, enfatizando uma comunicação de utilidade pública”, destaca.
O GT de Governo Eletrônico vai participar ainda nos próximos dias das conferências municipais de Lagarto, Japaratuba, Propriá, São Cristóvão, Laranjeiras, Nossa Senhora do Socorro, Itaporanga e Barra dos Coqueiros.

DEPOIMENTOS

Para Tânia Cristina dos Santos, membro do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município, participar da conferência permitiu que ela tivesse conhecimento de mais informações sobre o governo. “Nesta reunião pude perceber que existem meios para que a população mude as coisas e não só fique esperando do governo. O problema é que a maioria desconhece esses mecanismos. Com força de vontade e informação, podemos transformar a realidade do nosso Estado”.
Já para a dona de casa Rosa Santos, esta terça-feira foi marcante, pois em 25 anos que ela mora no município nunca teve uma oportunidade de conversar com o Governo do Estado. Joelson de Jesus, agricultor do acampamento 8 de agosto do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), diz que a participação no evento foi importante, porque ele pôde conhecer as ações do governo e percebeu que este também está interessando em saber sobre a realidade do povo daquela região. “Em geral, os políticos só lembram de municípios pobres como o nosso na época da campanha”, desabafou.

AS CONFERÊNCIAS
As conferências municipais e territoriais, que seguem até o dia 21 de junho nas 75 cidades sergipanas, têm o objetivo de ouvir a população para a construção de um Plano de Desenvolvimento Territorial democrático, de acordo com as características de cada região. A metodologia utilizada pela Seplan permite que a população faça uma análise da situação atual, defina o que ela deseja ter na sua cidade e as prioridades.
De acordo com a Secretária do Planejamento, Lúcia Falcón, todos os programas de investimentos do Estado definidos a partir das demandas levantadas no PDTP serão incluídas na lei do Plano Plurianual (PPA), cujo projeto será apresentado pelo Governo do Estado à Assembléia Legislativa no final de agosto.

Skip to content