Publicado: 31 de julho de 2017, 11:42

Gestores de TI definem princípios da Política de Tecnologia do Governo

A Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis) promoveu, na manhã da última quarta-feira, 21, uma discussão com os gestores de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) dos órgãos e das secretarias para definir os princípios norteadores da política de TIC do Governo do Estado. Na ocasião, os presentes conheceram ainda o modelo de Plano Diretor de TIC (PDTIC) proposto pela empresa.

 

“Queremos dar a oportunidade de construir uma política deTIC participativa, envolvendo representantes de todos os órgãos”, justificou o presidente da Emgetis, Ulisses Benedito de Paula, ao enfatizar a importância de debater as prioridades da área, do ponto de vista do Governo.

Princípios

Como resultado das discussões, foram elencados sete princípios que deverão constar nas ações empreendidas pela Emgetis, durante a promoção da Política de TIC. O primeiro trata do alinhamento à máxima do Governo, que é promover aInclusão pelo Direito e pela Renda. Decorrendo deste, o segundo princípio é a busca da visão de um governo e um cidadão. A idéia é integrar as soluções de TIC do Estado partindo do ponto de vista de que o cidadão é um só,que utiliza os diversos serviços públicos estaduais.

Dar prioridade à integração e à cooperação entre os entes da Administração Pública em tudo que diz respeito à TIC, com o objetivo de otimizar os recursos, foi o terceiro princípio definido pelos gestores. Em seguida, foram destacados a preocupação com a qualidade, o custo e a segurança das soluções, a adoção de padrões da área, a prioridade do conhecimento e da especialização dos profissionais de TIC, e a realização de mudanças gradativas, mantendo sempre a continuidade dos serviços e minimizando os transtornos.

Os gestores de TIC também estabeleceram, juntos com a Emgetis, um total de 13 diretrizes que direcionarão as ações da área no âmbito estadual. Destacam-se a visão corporativa, em que o Governo passa a ser visto como uma grande organização; a implementação e posterior atualização do PDTIC; e a preocupação com ações voltadas para a sociedade.

Para o coordenador de Desenvolvimento de TIC da Secretaria de Estadoda Casa Civil, Rafael Batista Santos, a discussão ajudou a unificar o conhecimento e criar um padrão na área de tecnologia. “Os princípios e diretrizes expostos neste encontro é a unificação do que tem de melhor na área de gestão de TIC, adaptado a nossa realidade”, completou.

PDTIC

“Tudo o que definimos nesta manhã constará no PDTIC do Governo, que será elaborado pela Emgetis. O PDTIC é um dos documentos que traduz, de forma mais pragmática, a situação da TIC e servirá de ferramenta para a promoção da Governança de TIC, atribuição legal da empresa”, destacou o presidente.

Para viabilizar aos gestores um mecanismo de elaboração do planejamento das unidades de TIC dos órgãos, a Emgetis elaborou um modelo de PDTIC com orientações de como produzir o documento. A responsável pela iniciativa foi a gerente da Área de Governança e Inovação (Argin), Sueli Bacelar, que expôs um manual e um template, justificando a necessidade dos órgãos enxergarem melhor as suas áreas, para potencializar as ações.

“A elaboração do PDTIC vai ajudar as equipes de TIC do governo a caracterizar a área e auxiliará na execução mais estratégica do trabalho. A finalidade do documento é possibilitar o cumprimento de metas e reduzir a ocorrência de incidentes”, concluiu Sueli.

Ulisses de Paula destacou que a prática do planejamento é de extrema importância para a área de TIC. Estabelecer objetivos, metas e indicadores de resultados consiste em uma boa prática de gestão, que permite prever riscos e ameaças, bem como potencializar os pontos fortes das ações empreendidas pelas unidades de TIC.

Skip to content