Publicado: 21 de agosto de 2017, 09:47

Diretoria Executiva da Emgetis apresenta a nova estrutura organizacional

Durante a Reunião de Comunicação Interna, diretores explicam aos colaboradores como será formada a nova estrutura administrativa. As mudanças visam contribuir, por meio do trabalho integrado, com a solidificação da Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis).
No fim da manhã desta terça-feira (03/03), ocorreu mais uma Reunião de Comunicação Interna da Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis), em que foi apresentada a nova configuração administrativa do órgão, pela Diretoria Executiva. A mudança faz parte das ações que buscam solidificar o novo órgão, que se originou a partir da transformação da antiga Companhia de Processamento de Dados de Sergipe (Prodase) em empresa pública.

Ao proferir as palavras iniciais, o presidente Ulisses Benedito de Paula, demonstrou a necessidade da colaboração e do empenho de todos em consolidar a Emgetis como uma empresa cada vez mais eficiente e atuante. “Precisamos, antes de mais nada, fazer, e fazer o bom, objetivando a busca da excelência”, declarou.

A nova proposta explanada para os colaboradores está baseada nas metodologias de gestão por meio de projetos e processos. De acordo com o presidente, esses métodos possibilitam uma maior dinâmica de trabalho. “Queremos inovar, e isso acontecerá na forma de trabalhar. As gerências deverão atuar de maneira integrada”, afirmou.

As ações a serem implementadas proporcionarão o fortalecimento de parcerias com os órgãos do Governo do Estado. “Várias tarefas executadas pelo Estado necessitam de tecnologia para o desenvolvimento, e o nosso papel é trabalhar em conjunto com os diversos órgãos, atendendo às suas demandas”, concluiu Ulisses de Paula.

Organograma

Com a aprovação do Regimento Interno, a Emgetis passa a apresentar uma configuração organizacional com novas gerências e coordenações. Foram mantidos os setores que compõem a Diretoria Executiva: a Presidência (PRESI), a Diretoria de Administração e Finanças (DIRAF), chefiada por Maria Antonia Machado, e a Diretoria de Tecnologia (DITEC), sob o comando de Milson Leite Barreto Filho.

Os setores ligados diretamente à Presidência são: a Assessoria Jurídica (ASJUR), com a presença de Ilda Barreto; a Assessoria de Comunicação (ASCOM) com Grazielle Matos; a Assessoria de Planejamento Estratégico (ASPLE) com Jorge Eduardo dos Santos; a Assessoria de Controle Interno (ASCIN); o Escritório de Gestão de Projetos (EPROJ) com Paulo Roberto Oliveira Farias e os gerentes de Projetos Ricardo Torres e Francisco Rocha; e o Escritório de Gestão de Processos de Negócios (EPRON), com Lucia Augusta Santos.

Já a Diretoria de Administração e Finanças será composta pela Área de Pessoal (ARPES), com Rosangela Menezes Oliveira; a Área Financeira e Contábil (ARFIC), com Ana Maria Rodrigues Braz, e a Área de Contratação e Serviços Administrativos (ARCAD), com Melício Vasconcelos Machado.
A Diretoria de Tecnologia foi a que mais apresentou novidades, com a Área de Governança e Inovação (ARGIN), com Sueli Dantas Bacelar; a Área de Infra-Estrutura (ARINF), com Antônio Manoel Nascimento; a Área de Sistemas e Informações (ARSIN), com Eladio Portugal Freitas, e a Área de Relacionamento e Negócios (ARENE), com Luiz Eduardo Ferreira Santos.

Avaliação

Com o objetivo de alcançar o pleno desenvolvimento das atividades, bem como o aprimoramento das ações, o trabalho executado pelas gerências deverá seguir “o princípio da competência, já que são oferecidas as oportunidades de atuação. Além da aptidão técnica, será levado em consideração o espírito de equipe”, orientou Ulisses.

Para alcançar um serviço eficiente e eficaz será adotada a sistemática de avaliação de desempenho, onde cada área apresentará o diagnóstico das atividades, implementará projetos e apresentará os resultados. Segundo o presidente Ulisses, a primeira avaliação gerencial já está prevista para junho.

Alguns setores criados deverão auxiliar na gestão, no planejamento e na percepção de possíveis falhas no andamento das atividades. Como o Escritório de Projetos, responsável por implementar ferramentas de apoio ao gerenciamento, promovendo a sustentabilidade e capacitação das equipes.

A automação dos processos de execução ficará sob a tutela do Escritório de Gestão de Processos de Negócios, sendo uma das atribuições deste setor, treinar e desenvolver pessoal para as melhores práticas de gestão de processos.

Integradas à Presidência e em parceria com os Escritórios, estão a Assessoria de Planejamento Estratégico e a Assessoria de Controle Interno. A primeira fica responsável por repensar o planejamento da Emgetis como um todo, por meio de indicadores de resultados que traduzam os objetivos alcançados pela empresa. Já o Controle Interno vai atuar de maneira pro ativa, exercendo a orientação, o controle e a fiscalização dos atos administrativos da Emgetis.

Skip to content