Publicado: 11 de maio de 2017, 16:23

CGE declara regulares contas da Emgetis do exercício 2014

A Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis) teve examinadas as suas contas referentes ao exercício de 2014. A análise foi feita pela Controladoria Geral do Estado (CGE-SE), que emitiu parecer atestando a regularidade da prestação de contas anual da Empresa. O período em questão vai de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2014.

Os exames realizados pela CGE-SE observam princípios como legitimidade, economicidade e razoabilidade, além da regularidade de demonstrativos e informações sobre a prestação de contas da Emgetis. Após esses passos, a Controladoria emite um certificado de auditoria. Para o diretor presidente da Emgetis, Ezio Faro, o resultado que demonstrou regularidade nas contas da empresa já era esperado. “Fico satisfeito com o acompanhamento realizado pela CGE, e mais ainda com a lisura das contas administrativas na nossa gestão”, comentou.

A diretora administrativa e financeira da Emgetis, Maria Antonia Machado, explica que, após a análise feita pela CGE, o próximo passo é encaminhar esse material ao Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE-SE). “Procuramos atuar corretamente para que resultados como este sejam alcançados sempre”, declarou Maria Antonia.

Critérios

O Controlador Geral do Estado, Adinelson Alves, explica que os técnicos da CGE/SE trabalham com afinco no exame dos processos de prestação de contas anuais, alinhados com a missão do Governo de Sergipe, de garantir a efetividade das políticas públicas em prol de uma gestão estadual norteada pela ética e transparência.

“Os técnicos da CGE-SE estão mobilizados no exame das contas anuais da Administração Estadual para cumprir com zelo e dedicação a missão institucional desta casa de controle interno, que permite aos gestores prestarem contas dentro do prazo fixado pelo Tribunal de Contas de Sergipe (TCE/SE). Isso reforça o compromisso do Governo de Sergipe com a transparência dos atos e fatos praticados no exercício de 2014”, destaca Adinelson.

Por Andreza Azevedo
Com informações da Ascom/CGE-SE

Skip to content